quarta-feira, 29 de abril de 2009

Abiosorvente


Uma das dificuldades iniciais que eu achei em ser vegana, além do queijo, foi a história dos remédios e produtos testados. Depois de um tempo pesquisando, fiquei sabendo que quase todas as marcas de absorvente realizam testes em animais, então fui buscar uma alternativa. Meses de ralação e pesquisa me levaram até o abiosorvente. É um absorvente normal, porém feito de pano. Muita gente acha que é 'paninho da vovó', e me deu um trabalho enorme até eu aprender a fazer, mas depois que usei pela primeira vez, nunca mais quis trocar. Os absorventes normais, além de serem testados, geram uma quantidade enorme de lixo (é só fazer as contas: uma mulher com um ciclo menstrual não muito intenso troca o absorvente aproximadamente umas 7 vezes ao dia, durante uns 5 dias de ciclo. daí multiplica isso por um ano pra ver o tanto de lixo não-biodegradável que dá), o que foi mais um ponto decisivo pra eu trocar.
Um mês de uso depois notei que minhas cólicas estavam diminuindo, então parei definitivamente de usar o ab. normal. Mês passado eu resolví fazer um teste: usei metade do ciclo o abio e metade o ab. normal. Resultado: esse mês eu tive uma puta cólica que me fez sair da faculdade 5 horários mais cedo. Não aguentava nem andar. Dei uma pesquisada e ví que no processo de branqueamento do absorvente há um subproduto do branqueamente que libera uma substância chamada dioxina (ou algo do gênero), que pode provocar as cólicas. Só acho muito estranho porque a mesma indústria que vende o absorvente, venda os remédios pra cólicas, os anti-concepcionais que os ginecologistas passam pra regularizar o ciclo e amenizar as cólicas, o fato de que as nossas avós não tinham essas cólicas monstras que nós temos hoje e, principalmente, não tinham esse tanto de problema uterino como: ovário policistico, espessamento do endométrio, dificuldade pra engravidar... Parando pra pensar nessas coisas dá um medo tremendo!
Agora tô pensando em fazer pra vender. As pessoas que vendem hoje em dia cobram entre 15 e 17 reais um abio, o que a meu ver é um absurdo, pois o metro do tecido custa esse preço, e com um metro de tecido dá pra fazer uns 18 abios, isso sem contar com os botões e as flanelas que vão por dentro, mas acho que fica no máximo uns 5 reais pra fazer cada um. Tô pensando em vender a 5,50 mais o frente, mas ainda não sei...

Enfim, abio é três vezes melhor: não dá cólicas, não polui e também não é testado! \o/
O ùnico problema é ter que ficar lavando paninho todos os dias, mas acho que compensa né?! Tô querendo comprar o coletor, que é mais prático e dá pra usar na piscina e tal. Mas desse eu falo depois. Pra quem quiser saber mais sobre o abio:


6 comentários:

Andréa N. disse...

Excelentes dicas!!

Hikari disse...

Essa é a coisa mais nogenta q eu já vi! Elas chegam a regar suas hortas com a água suja de mentruação q lavam essa nogeira, e depois comem as plantas regadas a mentruação!!!

aBIOsorvente

Anônimo disse...

Primeiramente, nojento é escrever nojento com "g". E segundo, é melhor comer plantas regadas com sangue de menstruação do que regadas com produtos tóxicos que você nem sabe o que vai virar no seu organismo. Atitudes veganas estão de parabéns. Temos que zelar pelo que ainda temos.

Anônimo disse...

Nossa... isso é total "paninho da vovó!!" Seu post tá muito legal, a iniciativa é boa, mas pera lá! tem outros meios!! Acho o tal "copo menstrual" bizarro, mas mais viável pela praticidade q ele parece oferecer e etc...

Só gostaria de falar a respeito de duas coisas... vc se engana se acha que nossas avós não tinham cólica menstrual... a minha quase morria todos os meses e usava o tal "paninho"... e outra coisa?? Que mulher troca o absorvente 7x ao dia??? Ou é uma monstra ou vc exagerou um pouquinho né??

Viking disse...

cara, então eu sou uma monstra, pq quando usava absorvente normal, era essa a quantidade de vezes que eu trocava! tem o quisito higiene tb, e o fato de que o absorvente sempre me deixou meio "assada", daí tinha que ficar trocando pra machucar menos.
e quando disse que nossas avós "não tinham cólica", quis dizer que deveriam ter menos do que a gente. :)
nojento, como escreveu o amigo alí em cima, é tratar os próprios os eventos naturais do feminino como coisa de outro mundo. aposto que quem escreveu isso não goza pq tem "nojinho" da meleca que fica depois! ;)

"quero a fome" disse...

Oi! Você está fazendo o absorvente ecológico para vender??? Um abraço e obrigada, Marina.